Com a elevação a vila, Santa Luzia deveria construir o prédio da câmara de acordo com as exigências previstas na lei de formação de município, não conseguido construir, em três anos a vila foi extinta e anexada a Sabará. Com o tempo foram vencidas as dificuldades e o município se fortaleceu. Um dos promissores políticos de Santa Luzia foi o Barão de Santa Luzia. Santa Luzia foi berço de vários políticos mineiros, como os senadores estaduais Modestino. Gonçalves e Manoel Teixeira da Costa.

Poder Executivo da cidade de Santa Luzia é representado pelo prefeito e seu gabinete de secretários, em observância ao disposto na Constituição Federal. A Lei Orgânica do Município, criada em 16 de agosto de 2000, é a lei maior do município.

Poder Legislativo é representado pela câmara municipal, composta por 17 vereadores eleitos para cargos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição, que disciplina um número máximo de 21 para municípios com mais de cento e sessenta mil e menos de trezentos mil de habitantes). Em 2011, a Emenda a Lei Orgânica nº 01/2011 aumentou o número de cadeiras para dezessete a ser fixado a partir de 2013.